Cripta

Não há trincheira para o pranto [S 812]