Sapiens

Não levo comigo o que trazem os homens esperança Nem me iludo que faço o bem Doce seria crer [T 681]